Header Ads

O Caso dos Irmãos Naves

Ilza Barbalho / Portal da OAB-RJ

Esta é a história de Joaquim Naves Rosa e Sebastião José Naves, filhos de Ana Rosa Naves. Sebastião tinha 32 anos, era casado e tinha dois filhos. Joaquim tinha 27 anos, era casado e tinha uma filha.


A data em que se inicia a história é 29 de novembro de 1937 e o cenário é a cidade de Araguari, em Minas Gerais.

10 comentários:

  1. Este fato lamentável foi a maior lambança da história da "justiça" brasileira. É claro que a lei não pode ser representada por esta besta humana que se intitulava tenete. É revoltante ler tudo isso. Foi a coisa mais hedionda que conheci em toda a crônica policial. Dá nojo e revolta!

    ResponderExcluir
  2. Quem será q nomeou esse retardado como tenente e delegado!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. O militarismo é assim memso, e não adianta a coronelzada dizer que mudou que é mentira.sou militar reformado, mas nunca fui militar de espirito. da nojo do militarismo...

    ResponderExcluir
  4. Isso gera revolta. A justiça concerteza é cega, um ato de crueldade como este só faz com que nós desprezemos esses inuteis que se auto intuitulam e cometem barbaridades. MUITOS DESTES ESTÃO HOJE POR AI ABUSANDO DA AUTORIDADE E QUEM VAI PARAR ISSO.? QUEM VAI ABRIR OS OLHOS DESTA JUSTIÇA CEGA E INJUSTA QUE COLOCA A SUA FRENTE MISERAVEIS E IMUNDOS DESUMANOS QUE NOS ENOJA CADA DIA MAIS.

    ResponderExcluir
  5. Triste. Esse tenente foi o único responsável por essa barbárie. Meus Deus, como um ser humano consegue fazer isso? Não é um ser humano, é um monstro!

    ResponderExcluir
  6. Liberdade-Verdade-Respeito.Sou militar e discordo da forma como os militares agem,eles deveriam fazer um curso de Direito Constitucional,talvez assim eles poderiam agir diferente e parassem de se esconder atrás da farda.

    ResponderExcluir
  7. Não acho que o tenente foi o único responsável pela barbárie. O senhor juiz de Araguari e a "Justiça" brasileira, foram cúmplices do tenente, nessa injustiça. Conforme testemunho do próprio advogado Alamy, o senhor juiz togado negou-se a verificar a situação deplorável dos dois irmãos, sendo que os dois estavam presos no mesmo prédio onde o juiz atuava. Assim ele foi negligente e cúmplice.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Juiz, juntamente com o Promotor foram mais canalhas que o imbecil do tenente. Só quem já esteve "na frente" desse tipo de besta sabe como são arrogantes, prepotentes e "acima da lei". Podem fazer petição a vontade dentro de processos, eles "dão" se quiserem, e não há nada que se possa fazer. Mas os ventos estão mudando. Quando o PCC e o CV "descobrirem" que para se fazer "um soldadinho" demora 1 ano e para se fazer "uma toguinha" demora mais de 5 e que os toguinhas são em menor número e os reais "responsáveis" por prende-los, eles vão mudar as táticas e deixarão os soldadinhos para se concentrarem no problema real. Até lá, os dois lados tentarão de todas as formas acabar com o pobre trabalhador e obedientes as normas e leis. Afinal: Um povo alquebrado é tudo o que os poderosos inescrupulosos desejam para "fazer a festa".

      Excluir
  8. Já conhecia esse caso há tempos. Vez ou outra leio sobre ele e é sempre muito triste constatar como pessoas autoritárias e inescrupulosas destroem a vida de gente inocente. E o tal Benedito? Nada aconteceu com ele.....

    ResponderExcluir

Os comentários neste blog passam por moderação, o que confere
ao editor o direito de publicá-los ou não.